top of page

Pronto Socorro: quando realmente devo levar meu filho?

Hoje a Dra. Jessica Loekmanwidjaja, do Ig @pediatriasemstress trouxe, para nós explicações importatíssimas sobre pronto socorro! No último ano, visitamos muito o pronto socorro, mais ou menos 9 vezes, pra mim é muito, mas a imunidade do Arthur estava muito baixa, ele passava perto de uma criança doente e já ficava doentinho também. Estamos nos esforçando para aumentar a imunidade dele e este ano diminuir ao máximo de visitas ao PS. Este ano ele ainda não foi nenhuma vez, quando começar na escolinha vamos ver como vai ser.

Estas fotinhas, foram no dia da cirurgia de hérnia, ele não deu trabalho nenhum, durante a internação, só foi um pouco difícil na parte do jejum que ele chorou um pouquinho!

Pronto Socorro (PS): pra que serve?

O Pronto Socorro tem o intuito de atender urgências e emergências, ou seja, doenças agudas graves ou doenças crônicas agudizadas que podem causar sequelas ou até mesmo óbito.

As principais queixas no Pronto Socorro Infantil são sintomas respiratórios e traumas (quedas, cortes). Nas crianças pequenas, os sintomas respiratórios são causados principalmente por infecções virais e/ou bacterianas.

No entanto, o que vemos atualmente nos Pronto Socorros são consultas para sintomas que não se enquadram em urgências ou emergências. Muitos pais acreditam que o atendimento será mais rápido e efetivo, porém quase sempre isso não é verdade.

Procurar o PS imediatamente se:
  • Falta de ar, dificuldade para respirar

  • Crise de asma sem melhora com medicamento domiciliar

  • Manchas vermelhas pelo corpo

  • Criança prostrada e abatida quando está SEM febre

  • Febre há mais de 72 horas ou febre maior que 39°

  • Vômitos seguidos que não cessam com medicação oral

  • Intoxicação por medicamentos ou drogas

  • Trauma

  • Convulsão

  • Dor que não melhora com analgésicos orais

Lembre-se antes de ir ao PS:
  1. Se o seu filho NÃO apresenta os sintomas acima, converse com o seu Pediatra antes de correr ao Pronto Socorro. Ele pode te orientar e avaliar a criança no consultório.

  2. Por ser um local que concentra pessoas doentes, existe o risco de exposição a outros vírus e bactérias. Assim, se possível, leve apenas a criança que está doente e deixe os irmãos em casa.

  3. O Pediatra do Pronto Socorro em geral vai pecar pelo excesso, pois o mesmo não conhece todo o histórico da criança e está vendo ela em um único momento.

  4. Os plantonistas do Pronto Socorro mudam a cada período, assim pode ser que o Pediatra que o atendeu não seja o mesmo que reavalie.

  5. Prepara-se para esperar. A ordem de atendimento no Pronto Socorro é definido através da gravidade dos sintomas e a ordem de chegada. Pode acontecer de um paciente que chegou depois de você ter o atendimento priorizado por ter sintomas mais graves.

  6. Se o seu filho apresenta febre não há necessidade de esperar a avaliação médica para medicar com antitérmico. Medique a febre assim que constatada, já que a febre em si altera o exame físico da criança.

  7. Pronto Socorro não é o local para realizar exames de rotina

Dados importantes que devem ser relatados no PS:
  • Se o seu filho apresenta febre é importante aferir a temperatura com termômetro e observar de quanto em quanto tempo ela volta

  • Se o seu filho tem alguma doença crônica e se usa medicação contínua

  • Alergias prévias ou atuais

  • Se as vacinas estão em dia ou não

  • Uso de antibiótico nos últimos 2 meses

Durante o atendimento no PS:
  • Tire todas as suas dúvidas, não hesite em perguntar ao médico o por quê do exame e das medicações.

  • Converse com o seu filho: explique o que será feito e passe tranquilidade a ele.

Após o atendimento, avise e repasse as informações ao seu pediatra.

Aonde acompanhar a saúde do meu filho?

Com o pediatra de rotina, realizando consultas periódicas, a chamada puericultura.

A Sociedade Brasileira de Pediatria orienta que as consultas de puericultura devem ser feitas em idades chaves, mesmo que a criança não esteja doente, pois a consulta periódica de seu filho sadio evita doenças.

Além disso, o ideal é que o mesmo pediatra avalie o seu filho quando ele tiver uma doença aguda. O pronto socorro funciona com escalas de plantonistas, ou seja, cada dia é um médico diferente que atende, sendo que reavaliações provavelmente serão feitas por diferentes médicos.

Ao procurar o PS avise o seu pediatra, para que ele possa acompanhar a evolução dos sintomas, além de orientá-lo sobre medicamentos, sintomas graves e possíveis complicações.

A Organização Mundial da Saúde recomenda consultas de rotina com Pediatra:
  • Até 6 meses de idade, consulta mensal

  • 6 meses a 1 ano a cada 2 meses

  • 1 a 2 anos a cada 2 meses

  • 2 a 3 anos a cada 3 meses

  • 3 a 5 anos a cada 6 meses

  • 5 a 13 anos a cada ano

Fonte:

  • Overview of Children in the Emergency Department, 2010. Statistical Brief #157. Lauren M Wier, MPH, Hao Yu, PhD, Pamela L Owens, PhD, and Raynard Washington, PhD, MPH. Junho 2013.

Sobre a Dr. Jessica Loekmanwidjaja - Pediatria Sem Stress

A Dra. Jessica Loekmanwidjaja é médica Pediatra, com especialização em Alergia e Imunologia Clínica. Formou-se na Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo, onde atua até hoje como médica colaboradora no Ambulatório de Imunologia Clínica e realizando Mestrado na mesma área. Trabalha também como Pediatra no Pronto Atendimento do Hospital Israelita Albert Einstein. É uma das criadoras do Blog Pediatria sem Stress, que tem o intuito de fornecer informações confiáveis de forma simplificada.

Sites: www.drajessicaloekmanwidjaja.com / www.pediatriasemstress.net Instagram: @pediatriasemstress

Consultório: Rua Ceará, 144 - Higienópolis Telefone: 2244.4499 ou 3661.6992

Gostou das dicas? então compartilhe com um amigo, deixe o seu comentário, siga nossas redes sociais!

Instagram: @mamaequeviaja

Um Abraço

Amanda Ribeiro - Mamãe Que Viaja

POSTS RECENTES:
PROCURE POR TAGS:
bottom of page